Translate

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

O Incrível Mundo do Gumball!

Estavam os meus ricos filhos a ver o 98387º episódio do Gumball, quando entro na sala e oiço algo, inacreditavelmente mágico, a ser dito por aquele coiso azul.
Epá, naquele segundo, deixei de ouvir, ceguei e viajei com o único neurónio que ainda vai respondendo à minha chamada…
Quando ressuscitei:
Eu: Meninos, ponham lá isso um bocadinho para trás, se faz favor. Quero que oiçam uma coisa.
Miguel (5 anos): Os puns do Gumball?! Ele está sempre a dar, mãe!
Gonçalo (8 anos): Ó mãe, o que é que foi?! Isto não é para a tua idade!
Didi (12 anos): Pronto, passou-se! Isto são desenhos animados! Não é para levar a sério, ok?!
Eu: Ponham lá isso para trás! Já vi que não valorizaram algo muito importante e que é para levado a sério, sim!
Com o recuanço feito, oiço uma criatura perguntar ao Gumball no que é que ele é bom, já que todos nós somos bons em alguma coisa, dizia ele.
Os miúdos estavam com um ar meio aterrorizado, meio curioso….
Foi então que o Gumball respondeu isto, gente, ISTO:
- Acho que sou só bom a ser feliz…
Estava com o arzinho mais desconsolado do mundo, como se ser “só” bom a ser feliz fosse algo supérfluo, irrisório, sensaborão…
Eu: Meninos, ouviram bem?! Tentem lá ouvir - com ouvidos de ouvir, coração a sentir e olhos de ver- o que disse o Gumball e reparem bem na forma como ele o faz!
Miguel: Ó mãe, ele é mesmo assim mas depois ficou feliz, deu um pum e passou!
Gonçalo: Sim, já ouvimos, com isso tudo que disseste para aí, agora deixa lá puxar isto para a frente!
Didi: Mãe, só te falta chorar… Isto é o Gumball! Ele não diz nada de jeito…
Eu: Meninos, o Gumball é um génio e não sabe. E vocês também não, está visto! Ele tem o maior dom, ele tem em si o sentido da vida e NÃO SABE! É bom naquilo que todos queremos ser – sermos felizes!
As pessoas precisam de ser boas nalguma coisa para se sentirem felizes e o Gumball diz que “só” é bom a ser feliz...
Ou seja, ele não só não percebe que tem o maior poder do mundo, como ainda acha que isso é coisinha pouca! Fiz-me entender?!
Didi: Mãe, já passámos para a frente, já nem te estamos a ouvir…
E, pronto, foi assim que dei por mim a pensar nas vicissitudes da vida do Gumball, com vontade de levar a cabo um "crowdfunding", com vista a angariar dinheiro para o mandar para um retiro espiritual pela Índia, com sábios monges budistas, para que ele se descubra e fique tão fã dele próprio como eu fiquei naquele segundo.
Até lá, vou tentar descobrir uma forma de, daqui a uma década, não ter a mesma vontade, de fazer o tal "crowdfunding", mas, desta feita, para mandar os meus filhos em substituição do renovado Gumball…
Que o Santo Foco no Ser Só Bom em Ser Feliz, esteja com eles!
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

Sem comentários:

Enviar um comentário