Translate

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Ou vai ou racha!

O meu Gonçalo (8 anos) virou, subitamente, um “metrossexual” em ponto pequeno na idade e em ponto grande na exigência e na chatice…
Tudo o que vai vestir e calçar é pensado ao cagagésimo pormenor, sem esquecer o cabelitxo!
Se antes era um autêntico: “quero lá saber o que me pões no corpinho, só não me apetece ir nu, mas se tiver de ser também não é algo que me tire o sono, quem não gostar que olhe para o lado!” agora encarnou um: “a imagem vale mais que mil palavras e eu quero estar no máximo do meu melhor, quer seja para ir para a escola ou para ir até ao jardim apanhar um peúgo que caiu do estendal e quem não me respeitar vai ver-me do avesso”.
Ofereceu as cuecas todas ao que vem a seguir a si na hierarquia fraternal – o Miguel, e convenceu o primeiro da hierarquia – O Didi, a fazer uma minuciosa revisão de todos os seus boxers e a dar-lhe aqueles que já não lhe assentassem que nem uma luva… Mas atenção, só concedeu a honra de ficar com os lisos e azúis escuros, todos os outros dispensou veemente! (deixando o mais velho de boca aberta e de boxers azul cueca na mão).
As meias, só quer: “curtas mãe, muito curtas!”.
Conseguiu arranjar defeitos em todos os pares de calças! Levo-os à avozinha, que tem mãos de fada, e explicou-lhe pormenorizadamente quais os ajustes que ela teria de levar a cabo. Os calções, a seu ver, não há avó que os valha… Colocou tudo de ladecos!
Quanto às tshirt´s limitou-se a chorar, a olhar para elas...
E o cabelo?! Ai senhores o cabelo…
Começou a querer gel naquilo… Andei a gastar quilos de gel a tentar modelar aqueles pilares de aço a que simpaticamente temos de chamar cabelo, não vá o Guru da Moda enfurecer-se.
Lá percebeu que é uma missão que nos ia levar à falência ou a passar a comer gel ao pequeno-almoço, almoço e jantar.
Decidiu que cortar seria o mais correcto… Explicou TUDO à cabeleireira (inclusive o número do pente e ser usado em cada zona) mas, no fim… no fim, disse-me que nunca mais ia cortar o cabelo e que eu devo ter andado a dar instruções à cabeleira sem ele ver… Diz que o problema está na “ponta da franja”. #sejaláoqueissofor
Eu ando em modo desespero entre a vontade de o respeitar e a de o enviar empacotado em cartão canelado, com selo, para a China e com um aviso de “parte-se com facilidade” e de proibição de devolução até lhe passar o bicho...
Porquê?! Ontem fez-se luz…
O Didi, assim que chegou a casa, chamou-me à parte e diz: “Mãe, já sei porque é que o teu filho deixou de ser o Cebolinha… Vi-o atrás da escola com uma miúda! Andavam de um lado para o outro de mão dada… Ele até olhava para o céu, mãe! HAHAHAHAHAHAHHAAH. Tás feita!”
Ai não estou não! Isto passa…Eu posso esperar? Posso! Mas também posso convidá-la para um lanchinho com chá e biscoitinhos de limão e contar-lhe o meu projecto de vida para a velhice…
Não, não é ir dar a volta ao mundo com o homem, ir ao Egipto ver os Farós, ir a Paris ver a Torre Eiffel… Isto era até ontem ao almoço. Desde então é: vender a casa e o carro, pegar no homem e ir viver com o meu Gonçalo e os montes de netos que ele me irá dar, oferecer dicas de como decorar a casa, educar os netinhos e enchê-los de doces e de roupinhas que o pai e os tios vestiram… 
E eu que só queria um casalinho…
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

Sem comentários:

Enviar um comentário