Translate

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Inteligente o camandro!

Estou há 2 dias sem computador!


Se odeio telemóveis só porque sim,  para escrever, então, é-me tão prazeiroso quanto olhar para as minhas Levis 501, de 1998…


Para poder responder às mensagens e e-mails sem esgaçar a ténue linha que sustenta a minha sanidade mental, desactivei a escrita “inteligente”! Agora só falta restabelecer as forças para responder... Essa coisa demoníaca faz-me lembrar as pessoas que nos interrompem constantemente para terminar as NOSSAS frases. #ENãoAcertamUma Levam-nos a um constante “rewind” na conversa e no raciocínio, portanto, algo que podia ser explicado em 3 segundos, demora 4 dias e só nos conseguimos fazer entender a nós mesmos (e mal)! Umas, cheias de boa intenção, fazem-no para estabelecer connosco uma relação única de empatia e compreensão. É fofinho, sim senhor, mas chato que dói! 

Outras é para botar ar no Ego, mostrar que sabem, que dominam o assunto e os nossos pensamentos e vontades e “coise”, mas não, porque se soubessem realmente o que nos vai na alma, explodiam de excesso de ar e desopilavam desgovernadamente em direcção ao local onde as mandamos mentalmente – à merd*. Há, ainda, um terceiro tipo de gente que nos interrompe - as simplesmente parvas e, é aqui, nestas últimas, que se encaixa a maquiavélica inteligência da escrita nos telemóveis. 

De facto, é um excelente teste para recrutar pessoas “zen” para desempenharem funções de apanhar moscas com pauzinhos do japonês, fora isso não sei qual o seu propósito…


Devido às ocorrências relatadas acima, estive 5 horas da minha vida a escrever no telemóvel, usando a técnica das senhoras e senhores de idade avançada e com 15 dioptrias em cada olho, este textinho, com meia dúzia de parágrafos que, em circunstâncias de alinhamento cósmico, demoraria 1 minuto e 23 segundos! Mas, eu tinha de mostrar ao mundo que sou mais forte e mais inteligente que a escrita do meu telemóvel e que o suicídio, sem bilhete de pré-aviso, do meu computador.


Venci! #ComStressPósTraumático


E eu que só queria um casalinho…

A Mãe dos Quatro!

#eeuquesoqueriaumcasalinho

#amaedosquatro (Imagem tirada da net)

Sem comentários:

Enviar um comentário