Translate

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Obrigada!

Hoje venho fazer um agradecimento e tentar retribuir o bem que duas pessoas especiais têm feito à minha família! Vou pedir a vossa colaboração, leiam até ao fim, por favor.

Apelidam-se de salva-famílias, eu não diria melhor!

Há dois anos andei num suplício para encontrar um local inovador, DIFERENCIADOR onde o meu filho mais velho pudesse sentir-se bem, respeitado, motivado e desafiado ao ponto de achar que seria possível superar as dificuldades que estava a sentir numa disciplina.

Ele não queria ouvir falar em “explicações”, só a palavra o arrepiava e, se estava fartinho daquilo, ir para um local, propositadamente, para levar uma “ensaboadela” de mais do mesmo, era uma verdadeira tortura só o ter de pensar no assunto…

Podem dizer “ah e tal é só uma disciplina” mas a questão é que minava completamente tudo o resto.

Os dias que antecediam o teste eram de tormenta, agora imaginem o estado do rapaz no dia propriamente dito…

Claro que, naquele estado permanente de ansiedade e com uma confiança do tamanho da cabeça de um alfinete, não tinha grande ânimo para as aprendizagens escolares, estava vencido por não ter positiva “apenas” a uma disciplina.

Implorou-me para eu não falar com a professora e pediu que eu o ajudasse de outra forma – estudasse com ele - assim fiz!

Diariamente, revíamos as aulas daquela disciplina. Havia dias que sorria mas, na maior parte do tempo, o choro e a frustração venciam-no…

Tive de admitir que não estava à altura, não sou professora, por mais que isso doesse aos dois… Lá veio à baila, novamente, a questão das explicações… Recusou!

Eu andava esfrangalhada dos nervos e, por mero acaso, enquanto navegava na net, à procura de outras soluções, vejo que ia haver uma aula gratuita, experimental, de Yoga ali ao lado da minha casa… Espreito o site do local e vejo que é um mundo - um mundo de actividades virado e pensado para os miúdos e, surpreendentemente, para as suas famílias. Nunca tinha visto nada do género.

Decidi imediatamente ir àquela aula, inscrevi-me! Contudo, esqueci-me de um pequeno “pormenor” - a miúda tinha 3 meses, não tinha a quem a deixar, àquela hora, lá podia dar-me ao luxo de ir a uma aula de Yoga. Mandei mensagem a desmarcar, referindo o motivo.

Telefonaram-me nesse segundo e, pela primeira vez na minha vida, alguém, desconhecido, obrigou-me a cuidar de mim e exigiu ficar com a menina para que eu pudesse usufruir de 1 hora de auto-mimo!

Fui… deixei a menina nos braços quentinhos da Maria e no sorriso da Mónica, elas transpiravam confiança e paz interior. Ouvi as palavras: “vá cuidar de si que nós cuidamos dela” e entrei num local mágico onde nunca mais quis sair…

No final da aula contei-lhes um bocadinho do que me levou a ter tanta necessidade de relaxar – falei do meu Didi.

Mais uma vez fui apanhada na curva - não me falaram de testes, notas, percentagens, retenções, importância de ser “bom aluno”, dos defeitos do sistema, dos professores, dos males do mundo e da incompetência das famílias…

Ouvi palavras como: afecto, auto-estima, conquistas individuais, respeito, ritmo de cada um, métodos de aprendizagem alternativos, paz, segurança e sucesso!

Era isto! Era assim que eu queria que olhassem para o meu filho, era assim que eu queria que o meu filho olhasse para ele próprio e para a escola e havia ali duas pessoas FORMADAS, EXPERIENTES com a mesma visão que eu…

Para ser ouro sobre azul só faltava não ter de vender um rim para devolver a paz à minha família… A medo, perguntei o preço de tanta coerência, de tanta dedicação - Ainda tenho os dois rins!

Porque decidi falar disto, hoje? Porque o Didi teve ontem a sua primeira aula, deste ano lectivo, de matemática - a tal disciplina. Perguntei como tinha corrido, ele respondeu:
- Por acaso até correu bem, mas se não corresse eu depois falava com a Maria…

A paz voltou… a paz proporcionada pela confiança em si e nos outros e isto é um feito, é um trabalho em equipa, obrigada Maria, obrigada Mónica, obrigada 8Oitenta​!

A vocês, que já são 25 mil, peço que me ajudem a retribuir, basta espreitarem e deixaram o vosso gosto na página do 8Oitenta, isso dá-lhes imensa visibilidade e podem chegar a quem precisa. Ah e partilhem, partilhem muito, por favor.

Obrigada, em nome do Didi, em meu nome, em nome da minha família!

E eu que só queria um casalinho…
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

Sem comentários:

Enviar um comentário