Translate

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Dezoito anos de um amor maior!

Estamos os 2 de parabéns!
Dezoito anos de nós… Se isto não é amor, não sei o que é!
Tem dias que me apetece bater com a porta, outros em que me apetece dar-te com a porta mas, outros há, em que consigo ver a tua essência, aquela que me levou a apaixonar-me por ti. Nesses dias não resisto a dizer-te 638 vezes o quanto te amo….
Em 18 anos atingimos uma intimidade tal que podemos prestar-nos a tanta coisa, das que me dão mais gozo são rirmo-nos um do outro, um para o outro e de nós próprios à frente um do outro!
Mas é tão curioso como nunca passamos a linha, já reparaste que temos uma linha?!
Nunca falámos disto… um limite, que embora seja bem claro, nunca foi traçado formalmente por nenhum de nós.
Já viste? Aconteceu naturalmente. Talvez seja fruto do respeito, do conhecimento profundo de cada centímetro um do outro que os anos, as perdas, as conquistas, a partilha da dor, do amor, da alegria nos foram proporcionando e mostrando até onde podemos ir...
Dezoito anos também permitiram que conheça o teu cheiro melhor do que o meu e, mesmo assim, que ainda feche os olhos quando me abraças só para o sentir em toda a plenitude e o friozinho que me dá na barriga? Ok agora é barrigona...
Sabes, esse teu cheiro já está em mim, nos nossos filhos… em nós!
Tornámo-nos numa amalgama de 6 pessoas, já reparaste? Não sabemos onde começam uns e acabam os outros… Isso é doloroso, uns dias mais do que outros, mas deveras doloroso.
Eles são muito pequenos, precisam mais de nós do que de água para viver e nós temos dias que precisamos também e temos outros que só nos apetece deixá-los com sede e fugir…
Tentamos soltarmo-nos não é?
Dizes-me que quando eles crescerem vamos voltar a namorar como se não houvesse amanhã e curtiremos a nossa velhice a viajar e eu que nem pense que vou ser uma avó que fica em casa a cuidar dos netos, nem pensar! Aí é que vamos viver para NÓS! À bengalada, sempre à bengalada um ao outro, dizes-me tu… Será?
E o efeito que a tua voz provoca em mim?! A tua voz tem um efeito "looping" na minha pessoa. Ora dá-me paz, a paz que preciso para a transmitir a eles, a nós, ora dá-me uns nervos que só me apetece aniquilar-te com uma pisadela certeira!
É mais um privilegio concedido pelos dezoito anos. Posso sentir por ti, no mesmo dia, às vezes em apenas uma horita, todo um espectro de sentimentos que vão do ódio à paixão, sem que isso belisque a nossa relação.
E quando estamos sozinhos?! Não é MEEEESMO sozinhos, isso é quase impossível, quando nos permitimos ser um do outro, como se não existisse mais nada, como se eles não estivessem no quarto ao lado, aliás em 3 quartos a rodearem-nos por todo o lado… Volto a ter 20 anos… na paixão, na entrega, na ternura, no amor… Ufffff fico pronta para mais 18 anos disto tudo!
Amo-te, Pedro!
Amo o teu olhar, o teu sorriso, as tuas mãos, o teu toque!
Amo a tua barba mal aparada encostada à minha cara!
Amo as tuas gargalhadas e o nosso olhar cúmplice!
Amo quando te dás ao tremendo e extenuante trabalho de me tentar dar a volta!
Amo quando pedes desculpa a olhar-me nos olhos. Tu és dos que olha nos olhos!
Amo-te, desde o cabelinho branco às unhacas dos dedos grandes e gordinhos desses pés!
São 18 anos! Bolas, se isto não é amor não sei o que é… <3
Rita <3

Sem comentários:

Enviar um comentário